Uma Saga

O Adriano Siqueira, um autor que fez parte de uma das mesas redondas do Fantasticon, falou algo muito interessante: o autor é que tem que se divulgar. Afinal, a editora comprou o produto (que é o livro), e é dele que ela vai cuidar.

Editoras também, nas palavras dele, não são instituições de caridade, e  só vão publicar algo que dê lucro a elas.

Ora, pois! (hohoho) Vivemos na era do Marketing! O seu livro pode ser bom, pode ser fantástico, mas se você não souber fazê-lo chegar as pessoas, e não souber convencer as pessoas de que é um livro que merece ser lido, elas não vão ler.

Primeiro, tem a história do preconceito contra autores nacionais (já falei sobre o quanto isso é patético, não me envergonhem dizendo que só autores estrangeiros são bons). Além disso, livros são muito caros (posso falar as razões disso depois, num outro artigo, se alguém quiser), e, se você tem que escolher entre um best sellr internacional, que é mais ou menos certeza que você vai gostar, ou um autor nacional estreante, há poucas dúvidas quanto à escolha da primeira opção.

A não ser que você seja muito cult.

Bom, aí entra a história da divulgação. Cristopher Kastensmidt, também participante de uma das mesas redondas do Fantasticon, falou que a utilização de multimeios contribui muito com o autor. É até meio óbvio depois que você para pra pensar, não é, se você vive na era da internet e acha o máximo o quanto ela pode contribuir para você conhecer coisas novas etc.

Ok, então vamos lá. Compilando tudo que tenho aprendido e o que tenho lido, e o que tenho ouvido: escrever um livro sensacional é apenas um degrau de uma daquelas escadas de incêndio que te levam do 16º andar até o térreo se o elevador emperrou.

Os próximos degraus estão em: convencer a editora de que o seu livro pode dar lucro (estou trabalhando nisso ainda, então nao vou colocar uma receita mágica antes de dar certo); convencer o público de que o seu livro merece ser lido.

Por isso tenho trabalhado bastante em várias coisas ao mesmo tempo, que até estão deixando meu cabelo em pé. Construir um site sobre o livro, onde os leitores encontrarão várias informações juntas, que demorariam a ser localizadas ao longo das páginas impressas. Produzir um book trailer e, segundo Kastensmidt (amei esse nome!), ou você faz um negócio maravilhoso ou NÃO FAZ, se não vai ser uma propagada contrária. Ok, estou nessa de book trailer, mas eu conheço gente que manda bem com softwares gráficos, conheço atores e atrizes (lembrando que faço teatro), conheço gente que compõe música, e por aí vai.

Já fiz o storyboard do booktrailer, e estou escrevendo as lines do voice over (no caso “da” voice over, porque minha amiga da voz linda vai fazer a narração). Simultaneamente, tenho pronto o conteúdo escrito do site, minha amiga webdesigner (o site atual dela é http://www.fashion-feelings.com/) está trabalhando no meu site com todos os conceitos complicados que pedi para ela. Além disso, estou preparando promos. E, claro, não posso me esquecer, sigo digitando o resto da saga, porque está tudo pronto, manuscrito.

Quando chegar o registro da Biblioteca Nacional eu começo a soltar spoilers, teasers e por aí vai.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Uma Saga

  1. Que bom que eu não anotei nada que vi ou ouvi no Fantasticon (preguiça). Por favor, continue passando o evento a limpo pois estou copiando tudo. Estou ansioso para ler sua descrição da mesa sobre “o futuro da literatura fantástica no Brasil”, aquela com o Draccon.

  2. Pingback: Tweets that mention Uma Saga « Carol Chiovatto -- Topsy.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s