Primeiro Triunfo

Meus queridos amigos, colegas e demais leitores! Hoje precisei deixar minhas outras ideias de post de lado para vir até aqui compartilhar com vocês minha pequena vitória. É que chegou ontem o registro do meu livro da Bibioteca Nacional.

Eu comecei a chorar enquanto lia. Fiquei toda horrorosa, porque quando choro meu nariz fica vermelho.

Primeiro, muito obrigada a todos os que leem meus posts com frequência e àqueles que leram apenas meu último post e me acharam arrogante dizendo isso com a caps lock ativada. Obrigada por terem dedicado cinco minutos que seja do seu tempo corrido a mim, através do blog, ou meus perfis em redes sociais.

Obrigada aos meus amigos do Facebook que, pelo que vejo das estatísticas do blog, são meu público mais assíduo. As únicas ações que tenho feito para divulgar o blog são as vezes que coloco o link do novo post no Twitter e no Facebook, e estou com quase 800 vizualizações, em menos de um mês no ar, então acho que isso é bom.

Outra coisa que preciso agradecer são os constantes comentários que recebo. Não são muitos, e faço questão de responder a todos, porque, novamente, além de vocês terem dedicado seu tempo lendo o que escrevi, ainda dedicaram mais tempo para escrever um comentário. Não peço comentários porque acho desagradável toda vez que entro em um blog logo na cara a pessoa está pedindo comentário. Assim sendo, se vocês comentaram é porque sentiram vontade, e não há sensação melhor do que despertar a pessoa a escrever o que achou. É fantástico!

Quero agradecer aqui também ao pessoal do Fantasticon, Mari Bassi, Paulo Noriega, Tayla Olandim e Mateus dos Anjos. São todos pessoas maravilhosas que desde que conheci estão do meu lado me apoaindo e trocando quase duzentos e-mails (sem brincadeira, é isso mesmo oO).

E por que estou agradecendo tanto? Porque escrevo este mesmo livro desde que eu tinha 15 aninhos, sendo que a primeira ideia surgiu entre doze e treze. A vitória de ter finalmente arrumado ele de forma simples (um desafio, porque a história é bem complexa) me fez de agradecer a vocês, meus primeiros leitores dessas coisas que escrevo aqui. Além do mais, estou dentro do prazo para mandar a uma editora grande para avaliação, algo que achei que não seria possível. Ontem fez um mês que mandei o original e a documentação para a Biblioteca Nacional, e o prazo mínimo era de 45 dias. O documento estava datado de 10 de setembro, então tenho de agradecer também a Jaury de Oliveira, que não conheço, mas que é o funcionário da BN que assinou o registro, e merece todo o agradecimento do mundo (mesmo que não vá ler isso), porque a rapidez dele tornou meu sonho possível.

Outra novidade (não sei se já podia contar isso), é que fui convidada a integrar a equipe da Revista Fantástica, aquela revista nacional sobr literatura fantástica nacional de que falei em tantos posts e cujo link está na página inicial aqui do blog. Uma honra trabalhar com um pessoal que pensa muito como eu, sobre a arte de escrever e sobre a leitura, sobre as razões de ser tão difícil viver de literatura no Brasil etc.

Bom, dois de meus amigos do Facebook (não sei se podia falar o nome deles, mas a Mariana Aldrighi e o Elio Moreno – que foi meu professor de inglês na sempre maravilhosa Cultura Inglesa) comentaram no meu Facebook que a leitura dos meus posts é agradável. Bom, eles disseram isso antes dos meus três posts de revolta, mas espero que a opinião ainda seja a mesma, porque a palavra “agradável” é muito boa, e define exatamente a sensação que ela causa ao ser ouvida.

Eu amo escrever, é a coisa mais libertadora que uma pessoa pode fazer, e por isso gosto de dar dicas sobre isso, sobre criatividade, para mostrar que todos vocês podem escrever, mesmo que não tenham paciência para escrever uma saga de cinco livros por quase 7 anos 😀 Escrever traz paz de espírito.

E muita gente tem me perguntado sobre o que é o meu livro, qual a história, onde se passa, então vamos lá. Se passa na Terra, mas numa outra dimensão, onde não existem seres humanos. A raça principal, cujo nome não vou falar (porque a curiosidade vai manter todos lendo muaahahaha), é bem parecida fisicamente com a dos humanos, mas eles são mais inteligentes e podem viver 500 anos.

A história é narrada pelo Tempo, que, no meu livro, é uma entidade real, e não um conceito criado por nós, como meu professor de Física do colégio adorava falar. O Tempo detesta o humanos por causa disso. Para aproximar o conceito, é como se o Tempo fosse um deus grego: foi criado à nossa imagem e semelhança e tem personalidade volúvel e rica. Ele aparece algumas vezes na história.

Aqui vai um parágrafo de teaser. Quando eu mandar o livro para a editora, se vocês estiverem muito curiosos, vou falar qual editora é para vocês ligarem e ficarem pedindo o livro, combinado? aushaushush

O nome do livro e da saga, aliás, é CIDADE DOS NOBRES. Já registrado pelo Escritório de Direitos Autorais da Fundação Biblioteca Nacional.

Este é um trecho do Prólogo, que, por sua vez, foi retirado de uma parte do penúltimo capítulo do livro.

Não, a Cidade dos Nobres não se renderia. Ela lutaria até o fim se preciso fosse, e contra todos. A Cidade dos Nobres era um gigante, um titã, um símbolo, e não se destrói símbolos, pelo contrário; eles só se fortalecem. Para derrubar a Cidade dos Nobres não bastaria destruir ruas e casas, não bastaria matar pessoas; era preciso destruir o símbolo, a ideologia. (…) E esse era o maior desafio.


Desta vez, eu quero feedback, justamente porque gostaria de publicar. Não precisa ser comentário aqui não, pode ser via Twitter ou Facebook, ou Skoob, sinal de fumaça, telepatia, ou o que mais vier em mente. Deu curiosidade?

Daqui para frente, teasers e mais teasers ^^

Agradeço a vocês pela atenção! Um beijo a todos!

Anúncios

10 pensamentos sobre “Primeiro Triunfo

  1. Muito bacana esse tipo de post. Dividir sentimentos é algo especial. Embora difícila de fazer, você faz muito bem.

    Acredito que em nossa mente a sensação de “ponto final” ou “trabalho concluído” quando se trata de livro no Brasil é quando efetuamos esse registro na Biblioteca Nacional. Afinal, é o fim de um ciclo. A partir desse ponto você não vai mais revisar ou reescrever a obra. É um produto pronto, registrado e a espera de ávidos leitores para devorá-lo.

    Sobre o teaser (e o fato de você não mencionar o nome da raça de protagonistas da sua obra pra continuarmos lendo)….Você realmente é uma publicitária….kkk.

    Mas, falando sério, se você falar para qual editora vai enviar a obra. Pode ter certeza que eu serei um dos que entrarão em contato com a mesma para pedir pelo lançamento do seu livro! Bjs.

  2. Olá companheira de trampo!!!

    Parabéns pelas suas realizações! Me vejo muito em você e tive as mesmas reações quando recebi o registro da biblioteca nacional!

    Agora é a batalha pelas editoras!

    Vai com calma e escolha bem, pois isso irá lhe acompanhar pelo resto da vida! E não dá para voltar atrás!

    Bjs

  3. sou suspeita pra comentar qualquer coisa sobre você, seu livro, seus posts… mas só porque eu adorei a parte má desse aqui “A raça principal, cujo nome não vou falar (porque a curiosidade vai manter todos lendo muaahahaha)”, também vou fazer uma invejinha:
    eu tenho a primeira parte do livro e não preciso passar curiosidaaaaaaaaade MUAAAAHAHAHAHA

    HAHAHAHAHHA (desculpa, não resisti!)

    beijoos!

  4. Olá,

    de verdade eu não costumo seguir blogs e ler muita coisa assim, mas tenho que confessar que me surpreendi com sua maneira de escrever, comecei a ler e não consegui parar, e de verdade não estou querendo parecer simpático ou cativador.. enfim, espero que acredite..
    Não costumo também deixar comentários, quando eu faço, é por que realmente achei que poderia falar algo de concreto.. detesto ser vazio hehe…
    A impressão lendo que eu tive do seu texto, foi como uma vez disseram pra mim com um texto meu na escola (!!).. “ler o que você escreve é como se estivéssemos conversando…” entende? é assim que eu percebi… como se estivesse conversando e não lendo uma narrativa simplesmente…
    Então, parabéns pelo seu triunfo e tenho certeza (não li outros posts) que foi merecido e que muitos outros virão… e gostei do trecho (prologo) do livro… e da história da sua concepção desde a sua adolescencia.. muito bom!
    Bom, é isso, muita boa sorte pra você, vou ler seus outros posts e qualquer coisa comento ok?

    até..

    Wagner Cappia

    • *.*

      Obrigada!!!

      Vc não faz ideia do quanto me faz feliz cada vez que alguém vem e faz um coment desse tamanho, cheio de observações 😀

      Eu tento mesmo parecer que estou conversando, alguns posts são mais rebeldes, outros mais calmos… Tudo pq quero passar minha autenticidade e dar a sensação de q estão mesmo falando comigo a cada post!

      Acredito em vc sim, até pq é muito difícil elogiar de um modo agradável quando não estamos falando a verdade. Espero que continue querendo acompanhar o blog depois de ler outros posts! Beijossss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s