Resenha do Livro BENTO, de André Vianco

Eu sei que o André Vianco não precisa de mais resenhas para promover o livro dele, e eu sei que todos sabem que ele manda muito bem em literatura de gênero. Mas, mesmo assim, acho que um livro tão f********** bom merece uma senhora resenha. Eu não conseguia largar o livro, foi até perturbador pra escrever o meu (estou digitando o segundo para registrar na BN), e eu só leio no ônibus, durante a uma hora de trânsito que pego todo dia para ir pra casa.

Mais uma vez ponho aqui a resenha que fiz para o Skoob, porque muitos de vocês que me leem não tem perfil lá. Vambora.

Eu não costumo oferecer grandes sinopses do livro resenhado, mas a deste faz parte da genialidade do autor (eu não elogio jamais se o livro realmente não merecer). A história se passa meio que numa Terra pós-apocalíptica, 30 anos depois do que chamam de A Noite Maldita, quando, da noite pro dia, metade da população mundial caiu num sono misterioso, em que as pessoas não envelhecem e não sofrem nenhum mal, apenas dormem, tipo Bela Adormecida, e a outra metade da população, a que ficou acordada é dividade: uma parte virou vampiros e a outra permaneceu humana.

Os humanos tiveram de passar a viver em fortificações cercadas de muros altos, afastadas dos grandes centros urbanos (tomados pelos vampiros e transformados em covis), e só podiam se comunicar por meio de mensageiros com as demais fortificações, porque os vampiros foram destruindo as redes de comunicação e, após a Noite Maldita, as ondas de rádio sumiram da física. As mulheres não engravidam mais e não existem mais doenças.

Os adormecidos aos poucos acordam ao longo desses trinta anos e alguns acordam o que chamam de “bento”. Um bento é um cara comum à primeira vista, tinha uma vida normal antes da noite fatídica, mas quando sente o cheiro de um vampiro prestes a atacar fica louco e parte para cima, ou até matar todos os vampiros à volta ou até morrer. Tem uma profecia de que, quando reunissem 30 bentos 4 milagres seriam desencadeados, a partir da liderança do 30º. O protagonista da história, claro, é o 30º bento.

CLARO que o Vianco iria me matar se eu dissesse que a história é essa. É bem mais complexo, bem mais cheio de detalhes e ideias senssacionais que, misturadas, fizeram uma história superior a infinitas deste gênero que já li. De verdade, há muito tempo nao ficava tão empolgada com um livro.

A história se passa basicamente no contexto humanos lutando pra reunir os 30 bentos e os vampiros fazendo os humanos de reféns da noite.

Agora, coisas sensacionais: depois de 30 anos sem intervenção humana, o Brasil inteiro foi tomado de volta pela Mata Atlântica, e ficou uma florestona com algumas estradas por onde os humanos passariam apenas durante o dia. Então, os humanos ficam unidos em suas fortalezas e trabalham junto para combater os vampiros. A tragédia trouxe benefícios à raça humana (ah, a história se passa no Brasil, mas todo o mundo sofreu com a Noite Maldita, ao contrário de certos filmes em que os ets só atacam os Estados Unidos e os americanos salvam o mundo da desgraça eterna).

É fantástico como o Vianco tem a capacidade fenomenal de nos fazer entrar na história e nos colocar no lugar daqueles personagens. O Lucas, que é o 30º bento, é um herói muito legal, mistura muitos conceitos, guerreiro e padre (ele não é da Igreja Católica, ok, mas acaba fazendo as vezes de um como, por exemplo, para fazer água benta).

Todas as cenas de combate são impecáveis. Você se sente no cinema assistindo a um filme 3D e, se suas irmãs não estiverem gritando na sua orelha, você se sente dentro da cena, como se ela fosse real. Você consegue ver as descrições, você consegue conhecer as personagens e se sentir interagindo com elas. Até os coadjuvantes que aparecem são encantadores. Nós amamos cada um deles e ficamos tristes quando morrem, e ficamos felizes quando conseguem escapar.

Eu pelo menos ainda vejo o carisma dos vampiros. É muito raro eu torcer para os mocinhos, como fiz o tempo todo nessa história. Mais raro ainda eu torcer para os vilões se darem mal, porque os vilões geralmente são a parte interessante da história.

MAS, neste livro, os mocinhos são anti-heróis, a filosofia de sociedade está indescritível, a capacidade de intrincar os fatos do Vianco me deixou besta. Não sei se minhas palavras fazem jus a esta história, de verdade. Estou me esforçando muito para tentar transmitir.

Aqui faço um paralelo com Os Sete. Eu torcia tanto pros vampiros naquele livro, e detestava tanto os mocinhos, que achei que ia ser igual em Bento. Não foi. Fiquei surpresa. É um livro que você não consegue largar. Está na minha lista dos 5+ Recomendados!

Agora, vou devorar as sequências, O Vampiro-Rei volumes 1 e 2.

Anúncios

9 pensamentos sobre “Resenha do Livro BENTO, de André Vianco

  1. Pra ser bem sincero A saga do Bento me decepcionou muito !!! não por não ter um final tão bom quanto o começo …. mas fica aquela ideia de que o autor vai escrever outro e isso é chato … no livro Bento por si ja tem inicio , meio e fim .. o vampiro rei nos prepara… (enrola ) pra ter o segundo … mais não convence … tinha tudo pra ser legal … mas ficou devendo final fraco sem a menor empolgação… não acreditei que terminou assim … sem mais nem menos … sem falar dos personagens que aparecem do nada e somem na mesma velocidade !! embora goste muito do Andre Vianco li o senhor da chuva , os sete e estou lendo setimo , pois os sete tambem não termina !!! rs rs rs rs Poxa André sei que vc precisa ganhar uma grana tudo bem mas pelo menos termine a Historia … não existe coisa pior que assistir um filme que não acaba …. tipo … e ai ??? acabô ??? rs rs rs mas recomendo ele escreve super bem só falta terminar !!! rs rs rs rs

  2. Acho que fui um dos primeiros a “descobrir” o André Vianco, quando achei o livro “Os Sete” num cantinho na finada Siciliano, comprei e li em dois dias (sendo que nas 100 últimas páginas eu me enfurnei no banheiro do escritório no meio do dia pq não conseguia parar de ler). Lembro de ter ido a uma das primeiras noites de autógrafo dele. Li todos os livros q ele lançou depois disso até exatamente o “Bento”, que está na minha pilha “to read”, junto com os Vampiros-Rei e o box do Turno da Noite. Por isso achei melhor não ler a resenha inteira, pra não “estragar”… hehe Vc viu q O Turno da Noite virou seriado? Bjo!

  3. Eu li todo os livros dele na ordem cronológica (com exceção de O Senhor da Chuva que se passa antes de Os Sete). Sendo assim, Os Sete, Sétimo (perfeito!), O Turno da Noite Volumes 1, 2 e 3; Bento, O Vampiro Rei Volumes 1 e 2 (pensei que você já tivesse lido estes 2 últimos, mas como não leu, não vou falar nada).

    Eu amei Bento. Espetacular mesmo. Daria um filmaço e tanto! Sua resenha consegue empolgar quem não leu. Pelo menos, essa é minha opinião. Agora… vou comprar briga com alguém ou é muito polêmico dizer que prefiro Bento aos Vampiros do Rio D’Ouro?….rs

  4. Ótima resenha,

    Realmente essa trilogia é muito boa, Bento foi o primeiro livro do André Vianco que li, gostei bastante e passei procurar as outras séries dele.

    Recomendo também a série de “Sete” e “Turno da noite”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s