Um Pouquinho de Revolta

Sei que costumo falar de coisas bonitas e divertidas, e não importa meu grau de revolta não tenho o hábito de abordar temas mais pesados neste blog, mas ultimamente tenho ficado meio abismada com certas atitudes de gente que se diz ‘humana’.

Fora as reportagens sobre pessoas que agridem homossexuais na rua e as notícias de morte por briga em baladas, hoje recebi mais um e-mail daqueles iniciados pela ONG Avaaz, desta vez falando sobre ‘estupro corretivo’. Eu tive de abrir pra tentar descobrir que raios é isso.

Na África do Sul, andou crescendo uma prática de estuprar mulheres lésbicas, “para elas aprenderem a ser heterossexuais”. Ahn?!? Claro, uma mulher que já não gosta de homem vai gostar depois de sofrer agressão sexual. Realmente, faz todo sentido ¬¬ (can you feel the irony?)

Mas isso me faz parar pra pensar em mais coisas. O ser humano realmente se acha evoluído pra caramba, e continua com essa bobagem de pensar que é superior a outro por alguma razão? Estou escrevendo sobre isso no conto sobre a Soberba pra antologia VII Demônios, da Estronho. Não sei se vai entrar no livro, mas se não, eu posto aqui 😉

Eu lancei alguns comentários de revolta no Facebook quando ouvi da agressão a gays na Paulista. Eu não sou a favor de educação para a diversidade – como se referem para falar de tolerância a homossexuais – porque isso pressupõe que eles são diferentes dos heteros, e não são. Aliás, falar de tolerância já é ridículo. A gente não tem que tolerar nada. Cada um é o que é e não temos nada a ver com isso.

Nada me revolta mais que um povinho sem cérebro resolvendo punir uma pessoa por ter preferências diferentes das dela. Ok, de hoje em diante vou sair batendo em todos que gostam de amarelo, porque eu, a sumidade divina local, gosto mais de verde. Ora, faça-me o favor!

Este post é ridículo; eu sentir necessidade de escrever isso é patético. Mas parece que algumas pessoas não desenvolveram completamente a racionalidade de que os humanos de gabam tanto. Estupro corretivo? Que merda é essa? Não existe nada que justifique coerção sexual, absolutamente nada. Não imaginei que o homem pudesse descer tanto.

Preciso deixar minha opinião bem clara (aqui com base em estudis de psicólogos especializados, uma galera de Filosofia e por aí vai): um homem que agride um gay apenas por ele ser gay tem tendências homossexuais, e ainda não descobriu, ou tenta negar para si mesmo, porque você jamais se ofende com algo que não incomoda. Por exemplo, se alguém passa na rua e me chama de magrela, eu dou risada, porque não me incomoda ser magra. Assim como, quando gritam que a minha irmã é gorda, ela nem se abala, porque ela não fica incomodada de ser gostosona.

Se ver um homem (ou mulher) homossexual na rua causa tamanha revolta a um outro, a ponto de fazê-lo sentir-se no direito de agir com violência, é porque é gay e tem vergonha disso. Um gay declarado não se ofende se gritam que ele é gay. É mesmo, ué, qual o problema?

Tem gente que odeia ateus. Bom, eu seria ateia se visse gente violentando e matando em nome de um deus e de sua religião. Talvez eu odiasse esse deus criminoso em que as pessoas acreditam. Porque o conceito que eu tenho de Deus, em que sempre fui ensinada a acreditar, em casa e na catequese, é de um Ser de braços abertos que ama todos os seus filhos.

É doloroso ouvir alguém dizer que é maior e melhor porque acredita nessa ou naquela religião. Já vi ateus mais cristãos que aquelas pessoas ratas de igreja. Qual é o verdadeiro princípio do cristianismo? Amar ao próximo como a ti mesmo. Bom, eles não falam quem é o próximo, se é branco ou negro ou azul ou verde, se gosta de homem ou de mulher, se é homem ou mulher, se é desse ou daquele país.

Eu sei que as pessoas que me leem provavelmente pensam igual a mim, ou pelo menos parecido, porque meus amigos e colegas, a quem divulgo este blog, são pessoas esclarecidas e inteligentes. Mas com certeza todos conhecem aquela pessoa nojenta que se acha o máximo e humilha outras. Ria dela e tenha compaixão. Ela não tem uma cabeça muito boa.

Anúncios

10 pensamentos sobre “Um Pouquinho de Revolta

  1. Dizer que concordo com tudo e reafirmar, depois de todos os cometários já incluídos, seria realmente “chover no molhado”. Eu penso que a doença mental do ser humano nos dias de hoje (e desde sempre) não será combatida com armas, mais mortes ou violência. Não temos, sós, a força pra mudar o mundo. Temos sim uma força sem limites pra mudar nosso mundo e contagiar os que estão em nosso entorno com essa mudança, e assim por diante. Então, revolta ou não, publicar um texto de protesto como o seu, é mais um passinho em direção a uma mudança real. Os comentários, o meu contário, espalham a esperança de dias em que não teremos mais notícias assim. Coisas ruins nos são vendidas todos os dias, aqui no Brasil, em todo lugar. Ligue a TV e verá cenas de violência extrema exibidas para crianças e tratadas como uma atitude normal e até mesmo louvável. “Puxa, ele arrebentou a cara do bandido, que demais!!”. quando essa criança vai pra rua, e vê a polícia espancando um trombadinha, ele acha o que? Demais!! Quando cresce, o que ela vai fazer numa situação onde a saida louvável é arrebentar a cara do “mal-feitor”? Tudo o que nos é vendido como normal e aceitável é incorporado à nossa cultura e passamos a aceitar. E quem não aceita, é preconceituoso. É isso o que acontece na África. Isso é “normal” para a cultura de lá. Aceitável. Se não tomarmos cuidado, teremos coisas absurdas por aqui, e não demora muito. Enfim, isso dá um papo pra mais de hora, e com uma “loira geladíssima” na mesa!! hehe De qualquer forma, é bom ter seus textos de volta, já estava sentindo falta. Beijos!!

  2. Concordo com o que você escreveu. O pior de tudo é que, em pleno século XXI, as pessoas sejam ainda tão primitivas. Me parece mais um regresso do que uma estagnação. As pessoas pegaram nojo das outras. Eu estava pensando em escrever sobre algo assim no meu blog esses dias (talvez ainda escreva). Tive um insight quando estava lendo uma embalagem de pão (tenho compulsão por ler qualquer coisa rs) e estava aquele aviso conhecido: Produto embalado sem contato humano. E aí pensei “Por que raios algo que é embalado por uma máquina, que solta óleo, farpas e sei lá mais o que, que pode estar enferrujada já que não estamos na fábrica para ver, pode ser mais segura que uma pessoa. E aquela felicidade de dividir a comida feita com as próprias mãos como antigamente? Tá…sei que sai totalmente do assunto do tópico rs me empolguei. É que se eu começar a falar de homofobia aí não paro mais. Preconceito é a pior doença do ser humano.

    Anyway, ótimo post. Pena que nem todas as pessoas pensam assim.
    Bjoos

  3. Carol, de vez em quando a gente precisa mesmo desabafar. Pode acreditar que eu te entendo e sei que faz um bem danado.

    É bom ler esse tipo de coisa de vez em quando, porque as pessoas tendem a pensar que somos sempre alegres, divertidas (e às vezes um pouco alienadas) por não sermos do tipo pessimista ou sarcástico. Assim dá pra ter uma ideia melhor de quem realmente somos e que nos importamos.

    Parabéns por este texto e suas reflexões.

    • Valeu! É, então. Tem um monte de coisas q me revoltam demais, e fico receosa de escrever no blog, pq eu gosto mais de compartilhar as coisas boas com as pessoas. Mas pensei desta vez que compartilhar uma ruim pode fazer a gente abrir os olhos e até tomar uma atitude.

  4. Muito bom o seu texto, Carol! Estas coisas me chocam, profundamente. Existem mais de 25 milhões de pessoas na África com Aids e um dos motivos para a disseminação rápida da doença neste continente é o alto índice de estupros. TUdo é motivo para este crime bárbaro lá e fiquei muito triste ao descobrir isso. 😦
    Parebéns!

  5. É Carol … não precisa nem de comentários, suas palavras de revolta, infelizmente, retratam a verdadeira cena que vivemos hj em dia. Existem pessoas que ainda não se ligaram que evoluimos juntos e não adianta ser melhor que ninguem.. alias ninguém é melhor que ninguém… fora que no final, o corpo morto vai pro mesmo lugar pra todos… Essa hipocrisia do ser humano realmente é revoltante..

    Parabéns pelo post!!

    Ka Wozniak
    Cinco das Artes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s