Boas Novas Literárias (ao menos para mi

Faz quase três meses que não escrevo aqui no blog, e continuo com visualizações constantes numa média diária bem satisfatória para quem andou não escrevendo nada para cá.

Quero por as coisas em ordem.

Este semestre terminei a faculdade, entreguei TCC, fui aprovada com muitos elogios da banca e meus orientadores. Finalmente, depois dos anos de estudo, publicitária formada, e não apenas de fato.

Ou seja, nada de mais ausências da Revista FANTÁSTICA, como alguns de meus leitores devem ter notado no site deles. Eu realmente me afastei para não me comprometer com um trabalho sério que eu não poderia levar adiante junto com o TCC.

O artigo que vai marcar minha volta para a FANTÁSTICA será para a cobertura da FLIP 2012 (para quem não sabe, é a Festa Literária Internacional de Parati), que ocorre de 4 a 8 de julho.

Ontem, dia 16 de julho, foi o primeiro evento da Tarja Editorial comigo à frente da coordenação de Marketing e Comunicação deles, e foi muito gratificante. Propusemos um formato diferente de mesa redonda, na Casa das Rosas, das 15h às 17h: lemos trechos de alguns contos dos dois primeiros volumes, Vermelho e Laranja, em formato de leitura dramática, com atores diferentes para cada personagem lido, incluindo narrador. Então, a partir da leitura, era proposto para a mesa um tema para o debate, em que o público podia tomar participação e comentar, perguntar etc. Experiência maravilhosa, e esperamos colocar as fotos, vídeos e resenhas do evento no Facebook da Tarja o mais tardar amanhã.

Depois tivemos ainda a noite de autógrafos do Paradigmas Definitivos. Só quem já foi num evento para saber qual a graça de ir até o Pier 1327 conversar com a tchurma noite adentro.

Capa Paradigmas Definitivos

Capa Paradigmas Definitivos

Sábado, dia 23/06, das 17h30 às 19h30 haverá o lançamento oficial da Fantástica Literatura Queer – Volume Amarelo na Biblioteca Viriato Corrêa, no Sarau Literário Queer. Lá teremos mais discussão, leituras dramáticas, uma encenação de um dos contos (segredo qual é) e até música, com o autor César Marques. Ele vai cantar composições próprias e alguns clássicos (ouvi dizer que “I Want to Break Free”, do Queen, estaria na set list, mas isso pode ser só eu dando uma de linguaruda).

O Inevitável Apocalíptico Vírus Zumbi, composição original nerd de César Sinício Marques

Bom, posso dizer que estou adiantando um evento de lançamento para o livro da Alliah que sairá pela Tarja Editorial, O Mentafetaedro.  A menina é doida, e merece um lançamento à altura. Só o que posso dizer a respeito disso por enquanto.

Outra coisa: sei dos futuros lançamentos da Tarja, e estou tão encantada por eles que periga esquecer de dormir pensando no que fazer com eles.

Chega de Tarja (mesmo minha vida orbitando em torno da editora até então, e este fato me fazendo muito feliz). Dias 23 e 30 o grupo de teatro Berotechnics, da Cultura Inglesa Guarulhos, do qual faço parte, irá apresentar uma versão adaptada do musical Wicked no Cultura Inglesa Drama Festival, e eu gostaria de convidar quem estiver interessado para assistir.

Poster Musical Wicked Original

Poster Original do Musical “Wicked”

Além disso, pelo grupo de teatro Fora de Foco, do qual também faço parte, apresentaremos Orgulho e Preconceito no teatro Adamastor, em Guarulhos. É a mesma montagem que ficou em cartaz no teatro Cultura Inglesa Pinheiros, com casa cheia em todos os fins de semana de apresentação, que ocorreram durante o mês de julho de 2011. Ainda não temos data, mas assim que tiver divulgaremos. Só sei que será em julho. Eu interpreto a Mary Bennet e a Sra. Gardener.

Irmãs Bennet do elenco original

Irmãs Bennet do elenco original

E, finalmente, tenho um livro escrito, re-re-revisado, muito bem betado, e prontinho para submissões diversas. Enquanto isso, sigo com a pesquisa sobre Inquisição para meu próximo romance.

Ah, e tenho trabalhado num conto para a coletânea Livros, da Editora Estronho, que está com uma proposta incrível. Aqui está a chamada de submissões, para quem se interessar. O prazo é 1º de dezembro, então dá tempo, viu, galera. Eu sou um lixo de contista, e tenho que trabalhar muito para submeter uma história legal e bem escrita.

Eu me gosto mais como romancista, e muito se engana quem acha que é mais fácil escrever conto. Doce ilusão. Só porque tem gente que é melhor contista que romancista não significa que seja mais fácil.

Eu até tenho mais novidades, mas ainda está cedo. Eu logo logo vou contando coisas, conforme puder. Por ora, deixa eu voltar para “Damas do Século XII”, de Georges Duby, que a minha linda consultora histórica do projeto-Inquisição, Nikelen Witter, indicou como bibliografia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s